Como acontece em qualquer outro destino turístico, os períodos de alta temporada concentram a maior quantidade de visitantes, fazendo com que as opções de hospedagem, passeio, restaurante e demais atrativos fiquem superlotadas. Isso encarece a viagem e compromete a visão dos turistas sobre o local. Por isso, viajar para Bonito na baixa temporada é uma ótima ideia!

Nos períodos de menor fluxo turístico, a cidade fica mais vazia e sem trânsito, os preços de hospedagem, alimentação e passeios são mais baixos, e é possível economizar também nas passagens aéreas.

Além disso, vale destacar que, como o foco da cidade é o ecoturismo, existe uma limitação diária de visitantes nas principais atrações. Algumas atividades, por exemplo, permitem apenas seis pessoas por horário. Assim, ao visitar Bonito na baixa temporada, o risco de ficar de fora de algum passeio é bem menor!

Quer saber mais sobre as atrações em Bonito fora das épocas de alta temporada? Então, acompanhe nosso artigo.

Quando acontece a baixa temporada em Bonito (MS)?

A menos que você more em alguma cidade do Mato Grosso do Sul ou em outra localidade que ofereça de voos diretos para o aeroporto de Bonito, com São Paulo, pode considerar que o município é distante. Saindo de Campo Grande, a capital do estado, o trajeto até lá é de mais de três horas.

Por essa razão, a maior parte das pessoas que quer conhecer a cidade escolhe épocas de férias escolares ou feriados que emendam vários dias. Afinal, é raro que alguém faça uma viagem de tantas horas, independentemente do meio de transporte utilizado, para passar um final de semana (ou menos) no destino.

Assim, se você tem flexibilidade para escolher a data da viagem, o ideal é evitar justamente esses períodos. Ou seja, os meses de dezembro, janeiro e julho, em função de férias escolares, e feriados como carnaval, Semana Santa, Semana de Nossa Senhora Aparecida (outubro) e Proclamação da República (novembro) são os períodos típicos de alta temporada.

As datas com maior lotação na cidade são o carnaval e o réveillon. Fora dessas épocas de alta temporada, o município costuma ficar mais tranquilo, o que proporciona uma melhor experiência de viagem ao turista, em todos os sentidos. E, vale lembrar, os passeios locais continuam com operação normal, independentemente da quantidade de pessoas no local.

Os meses de junho e agosto, inclusive, costumam ser os que têm menor fluxo de turismo, por normalmente serem épocas mais frias. Mas engana-se quem pensa que os passeios ficam prejudicados no inverno!

O clima em Bonito, nessa estação, é ameno, com céu claro. É possível fazer trilhas e flutuar em águas cristalinas, que mantêm sua temperatura entre 21º C e 24º C o ano todo, o que é bastante confortável para os turistas, ainda mais se considerarmos o uso de roupas de neoprene, que mantêm o corpo aquecido. Em nenhum momento existe desconforto térmico nesses passeios.

Além disso, com a escassez de chuvas no inverno, a visibilidade nas águas das nascentes e rios é maior. Algumas atividades, inclusive, são suspensas nos meses de calor por causa das chuvas.

Como, em Bonito, as atrações são ligadas à interação com a natureza, ao definir a data da viagem, é importante considerar que o clima, o índice pluviométrico e outras condições meteorológicas podem interferir nos passeios.

bonito-na-baixa-temporadaPor que Bonito é um polo do ecoturismo?

A grande quantidade de atrações que permitem a interação do turista com a natureza e a preocupação das empresas locais em preservar esses ambientes intactos fizeram de Bonito um dos principais destinos de ecoturismo no mundo.

Em 2018, a cidade conquistou o título de melhor localidade de ecoturismo do Brasil, concedido pela revista Viagem e Turismo. Além das belezas naturais, a infraestrutura para receber os turistas, o cuidado com a preservação ambiental e a limitação de visitantes nos passeios são alguns elementos que contribuem para que o turismo ecológico continue crescendo em Bonito.

Ao viajar para a cidade na baixa temporada, além de economizar, você terá a oportunidade de conhecer todas as atrações com menor quantidade de visitantes e conferir que, realmente, Bonito mantém sua infraestrutura turística mesmo com a redução do número de visitantes.

Vale a pena viajar para Bonito na baixa temporada?

Como explicamos, existem diversas razões para visitar a cidade de Bonito na baixa temporada. Confira:

  • os preços de hospedagem, alimentação e passeios são menores, assim como as passagens aéreas;
  • a lotação da cidade é menor, o que garante deslocamentos sem trânsito, maior facilidade de contratar transfers (caso você não esteja de carro), bares e restaurantes sem fila, entre outros;
  • é possível reservar passeios com menor antecedência;
  • nos meses de inverno, a visibilidade das águas das nascentes e rios é maior;
  • não é necessário disputar o ângulo perfeito para as fotos com dezenas de outros visitantes, já que as cachoeiras, nascentes, balneários e outros pontos turísticos ficam mais vazios na baixa temporada;
  • entre os meses de dezembro e março, o calor é intenso, em torno de 35º C, e costuma chover mais, o que pode atrapalhar alguns passeios. Com as chuvas, a água fica turva, e algumas atividades podem ser desmarcadas;
  • também entre dezembro e março, acontece a piracema, que faz com que menos peixes possam ser avistados nos rios.

Quais as vantagens de Bonito na baixa temporada?

Além de todos os benefícios já citados, que envolvem economia e melhor aproveitamento de alguns passeios, uma das principais vantagens de viajar para Bonito na baixa temporada é o fato de que boa parte das atividades turísticas pode ser reservada com menor antecedência.

Assim, enquanto nas épocas mais disputadas, como o réveillon e o carnaval, a recomendação é de que a reserva seja feita com, pelo menos, seis meses de antecedência; na baixa temporada, um mês, ou pouco mais, é suficiente. Isso é uma vantagem, já que, ao reservar com tanta antecedência, existe risco de imprevistos, que atrapalham os planos.

Além desse aspecto, a possibilidade de conferir a previsão do tempo também é maior ao fazer a reserva mais perto da data real do passeio. Assim, o turista corre menos riscos de agendar uma atividade em uma época de chuvas intensas, por exemplo, evitando a necessidade de cancelamentos de última hora.

Outra vantagem da baixa temporada é o fato de que, muitas vezes, os pacotes promocionais são lançados nos períodos de menor procura, justamente para evitar a ociosidade de hotéis e pousadas.

Dessa forma, se você pode planejar a sua viagem para Bonito em épocas de menor procura, aproveite! O clima é bom, chove menos, a visibilidade das águas é maior, os preços são melhores, e todas as atrações podem ser reservadas com menor antecedência.

Como se planejar para viajar para Bonito na baixa temporada?

Conforme explicamos, na baixa temporada, a procura por hotéis é menor, e alguns passeios podem ser reservados com menos antecedência. Isso significa que você pode ficar de olho nos preços de passagens aéreas e pacotes, para aproveitar uma oportunidade que coincida com suas datas.

No entanto, é sempre importante se programar com alguma antecedência — afinal, você não vai querer ir até Bonito e deixar de curtir as suas principais atrações, não é? Então, defina quais passeios deseja fazer e quantas pessoas participarão e faça as reservas assim que definir as datas.

Confira, a seguir, algumas decisões fundamentais para garantir que a sua viagem seja um sucesso.

Transporte

Em Bonito, o transporte público não chega até os pontos turísticos principais. Assim, se você não vai até a cidade com seu próprio carro, precisa considerar as únicas opções de deslocamento, lembrando que, do aeroporto de Campo Grande à cidade, a distância é de quase 300 km (que podem ser feitos em veículo alugado, transfer ou transporte rodoviário).

Vale destacar que a cidade conta com um aeroporto regional, mas os voos para lá costumam incluir escalas e são mais caros. As opções mais comuns de transporte em Bonito são:

  • aluguel de veículo (nesse caso, o ideal é fazer a reserva assim que definir suas datas). A vantagem é a maior autonomia, possibilitando paradas fora do roteiro e horários de acordo com as necessidades do viajante. Além disso, muitas vezes, o carro funciona como um ponto de apoio para guardar mochilas e outros objetos enquanto o turista participa das atrações;
  • transporte compartilhado, que é um serviço coletivo, com horários regulares. Os veículos normalmente passam nos hotéis e levam os turistas para o passeio previamente agendado. Na volta, devolvem cada turista ao seu hotel. Então, é importante um pouco de paciência, pois o veículo pode ter várias paradas antes da sua. Também pode ser necessário um tempo maior de espera nas atrações;
  • usar os serviços de táxi é uma forma de unir a comodidade de não precisar dirigir à flexibilidade de horários e trajetos. Porém, isso encarece o orçamento. Uma alternativa é alugar um carro com motorista ou um transfer para grupos maiores. Questione a locadora sobre essa possibilidade e verifique se o seu hotel tem indicações desse serviço;
  • para quem gosta de pedalar, o aluguel de bicicleta é uma opção, pelo menos para os passeios mais próximos.

Clima

Ao decidir a data de sua viagem, verifique o clima e a temperatura do local. O verão costuma ser quente, com temperaturas beirando os 35º C e bastante chuva. Já o inverno tem temperaturas mais amenas e não chega a fazer muito frio. Além disso, não é uma época de chuvas. Costuma fazer um pouco de frio (em torno de 15º C) durante a noite, mas os dias são claros e de céu azul.

Pensando nisso, planeje suas malas de acordo. Nos meses mais frios, lembre-se de levar peças práticas e leves, além de algum agasalho que possa ser utilizado logo pela manhã ou no fim do dia. No verão, roupas mais frescas, muito protetor solar e repelente para mosquitos.

Para o mergulho em água doce e flutuações, independentemente da época do ano, basta levar trajes de banho. Em Bonito, os passeios oferecem roupa de neoprene, inclusa no valor, o que aumenta o conforto térmico do turista — apesar de que, como já mencionamos, a temperatura da água não é fria, nem mesmo no inverno.

Falando em conforto, leve ao menos dois pares de tênis para caminhada, independentemente da época. Afinal, ao percorrer trilhas e nascentes, um deles pode molhar, e será importante ter uma opção de reserva! Um calçado extra com solado de borracha também é uma boa ideia.

Leve uma ou duas mudas de roupa para os passeios na cidade, mas lembre-se: em Bonito, o ambiente é mais despojado. Isso significa que não há necessidade de produções elaboradas. O local é um destino para turistas que gostam de estar em contato com a natureza, praticam esportes e apreciam aventuras.

Passeios

Embora, na baixa temporada, os passeios possam ser reservados com menor antecedência, é importante se programar para as principais atrações. Bonito é um dos destinos turísticos mais organizados do Brasil, e existe limitação diária de visitantes para cada passeio.

Isso significa que os vouchers são emitidos pelas agências e, somente com eles, é possível visitar a atração. Ou seja, se os ingressos para alguma delas estiver esgotado na agência, não adianta tentar ir diretamente à atração, pois não existe bilheteria, e sua entrada será proibida.

Assim, logo que definir as datas de sua viagem, verifique a disponibilidade dos passeios e adquira os vouchers das atrações que interessam a seu grupo. Se você vai viajar em família, com crianças, confira também a idade adequada para cada atividade.

Embora muita atrações contem com acessibilidade, algumas delas, como a flutuação, não são indicadas antes dos dois anos de idade. Nesse caso, um dos adultos terá que ficar com a criança enquanto o outro participa.

Qual a diferença de custos e preços na baixa temporada?

O preço dos passeios em Bonito é tabelado, mas existem valores para alta e baixa temporada. Assim, além da maior disponibilidade, que permite reservas com menor antecedência, a vantagem de visitar a cidade em épocas de menor procura turística é o valor mais interessante. Afinal, as atrações representam um dos principais custos para viajar para Bonito.

O valor de cada atividade pode variar de R$ 30 a mais de R$ 1.500, no caso do Abismo Anhumas, que exige uma estrutura mais sofisticada de segurança, tanto para preservar a caverna quanto a integridade do visitante.

Porém, na baixa temporada, o preço de alguns deles pode ser menor. Confira os valores para tais épocas nas agências locais e descubra como é possível economizar nos períodos em que há menor fluxo de turistas!

Hotéis, pousadas e restaurantes também tendem a praticar valores menores na baixa temporada, como forma de evitar a ociosidade. Os preços aumentam com a elevação da procura e podem duplicar nas datas de alta ocupação.

Mas isso não é exclusividade de Bonito: qualquer viajante sabe que vai pagar mais na alta temporada, em qualquer destino, nacional ou internacional!

viajar-para-bonito-baixa-temporadaQuais as principais atrações de Bonito na baixa temporada?

Na baixa temporada, entre os meses de março e maio, a temperatura é boa e não chove. Costuma ser a melhor época para visitar a região, já que não há cheias nos rios em função das chuvas de verão, e todos os passeios estão abertos aos turistas, embora com menor fluxo de visitantes.

Como ainda é quente, banhos em rios, balneários e cachoeiras são confortáveis, com a vantagem de ter menos gente no local durante a visita.

A partir de maio, e durante os meses mais frios, a temporada de chuvas continua dando trégua aos visitantes. Na baixa temporada, todos as seguintes atrações costumam estar disponíveis (lembrando que é importante reservar o quanto antes para garantir sua vaga):

  • flutuações;
  • balneários;
  • mergulho nas nascentes;
  • mergulho com cilindro;
  • trilhas e cachoeiras;
  • esportes de aventura, como tirolesa, arvorismo e rapel, inclusive no Abismo Anhumas.

Ao reservar, verifique os horários de funcionamento, pois algumas atividades, como os balneários em Bonito, podem fechar um pouco mais cedo na baixa temporada. Uma dica é conferir a flutuação na Nascente Azul, com tarifas promocionais em tais épocas.

Onde se hospedar em Bonito?

Por ser uma cidade turística, existem dezenas de opções de hospedagem em Bonito, desde pousadas e hostels até hotéis mais sofisticados. A escolha do tipo de acomodação vai de suas preferências e de seu bolso, claro, mas alguns detalhes fazem toda a diferença.

A localização é um deles. Dependendo de seu roteiro e do meio de transporte escolhido, pode ser melhor ficar em um local mais central. Por exemplo, se você não alugar um carro, a hospedagem no Centro pode ser uma boa escolha, pois os restaurantes, bares, lanchonetes, farmácias e outros pontos comerciais estarão próximos.

No entanto, a região central é a que concentra os hotéis mais caros de Bonito. Saindo um pouco dessa área, existem acomodações mais econômicas ainda no perímetro da cidade. Porém, para se deslocar até o Centro, é necessário um táxi ou uma boa caminhada! E, vale lembrar, na alta temporada, pode ser mais difícil encontrar táxis disponíveis.

Já nos bairros mais afastados, é possível ter maior contato com a natureza e também mais tranquilidade. Apesar da distância do Centro, é nessa região que ficam os hotéis mais sofisticados de Bonito, com infraestrutura completa, como restaurantes e atividades de lazer.

Nessas localidades, embora seja necessário um carro para ir até o centro, a necessidade de deslocamento será menor — especialmente se você utilizar transfers ou transporte compartilhado nos passeios. Afinal, o hotel proporcionará todas as facilidades para sua estadia.

Depois de decidir o tipo de hospedagem e a localização, é importante conferir as conveniências de cada uma. Verifique os serviços oferecidos, como café da manhã e acesso à internet, a infraestrutura de lazer, as opções de pagamento e cancelamento, o restaurante, entre outros detalhes.

Se estiver viajando em família, confira as opções para crianças e também a acessibilidade, que pode ser um diferencial essencial em muitos casos. Verifique, também, as referências do local em sites de viagem e nas redes sociais.

Caso tenha dúvidas, você pode entrar em contato com nossa equipe, que ajudará a esclarecer seus questionamentos e planejar cada etapa da viagem. A Nascente Azul é um complexo de ecoturismo com diversas atividades para você e seu grupo. Conte com nossa ajuda para elaborar o seu roteiro para Bonito.

Quais são as melhores opções para comer em Bonito?

Além das belezas naturais, a gastronomia de Bonito é um dos grandes atrativos da região. Não faltam boas opções de alimentação na cidade. Os pratos típicos normalmente são peixes de água doce, como pacu, pintado e traíra. Carnes exóticas, como a de jacaré, também fazem parte da culinária regional.

Os restaurantes mais famosos da cidade são o Juanita, que, além da comida brasileira típica, oferece grelhados, pratos vegetarianos e até opções sem glúten; a Casa do João, especializada em cozinha brasileira, com ambiente rústico e aconchegante; e o Tapera, cujo prato de pintado na telha é bastante tradicional.

Todas essas opções ficam no Centro da cidade. No entanto, a maioria dos passeios também oferece restaurantes tradicionais, com diversidade de alimentos, garantindo que você não interrompa a atividade para ir até a cidade fazer as refeições.

O complexo de ecoturismo Nascente Azul tem um restaurante estilo self-service, com vários pratos frescos e saudáveis, típicos da culinária local. Mesmo na baixa temporada, a oferta e a diversidade de alimentos continua sendo o forte desse buffet, que agrada aos mais diversos paladares.

Além dos restaurantes tradicionais, que oferecem os pratos típicos da gastronomia regional, em Bonito, é possível encontrar quiosques, pizzarias, hamburguerias, bares e outros estabelecimentos para um lanche rápido.

Comer em Bonito é uma oportunidade de interagir e conhecer a cultura regional, uma vez que os pratos da gastronomia típica fazem parte das tradições do lugar. Além disso, ao conhecer e frequentar os restaurantes locais, você fortalece a economia da região e valoriza suas raízes.

Ao decidir viajar para Bonito na baixa temporada, você terá a oportunidade de conhecer de perto várias atrações e belezas naturais, como cavernas intocadas, águas cristalinas repletas de cardumes, cachoeiras e elementos da flora e fauna nativas. Além de tudo isso, como você percebeu, a infraestrutura da cidade para receber turistas é excelente, independentemente da época.

Quer saber mais sobre esse importante polo do ecoturismo nacional? Então, assine nossa newsletter e receba, diretamente em seu e-mail, todas as informações sobre as atrações, hospedagem, alimentação e outros detalhes que fazem de Bonito um lugar incrível!