Poucas cidades no mundo fazem jus ao nome que carregam, mas Bonito, no Mato Grosso do Sul é um excelente exemplo. Localizado a 265 quilômetros da capital do estado (Campo Grande) e distante 50 quilômetros de Corumbá, o destino está assentado sobre o Planalto da Bodoquena e a Depressão do Miranda.

Internacionalmente reconhecida como uma das regiões mais belas do mundo, a cidade recebeu, em 2013, o World Responsible Tourism Awards (prêmio de melhor destino turístico responsável do mundo), concedido pela Feira World Travel Market, em Londres. O prêmio consagra o que Bonito é: um verdadeiro paraíso natural. Tanto, que o rol de adeptos do ecoturismo em Bonito vai dos amantes da natureza aos praticantes de esportes de aventura, passando por aqueles que querem apenas relaxar, apreciando suas numerosas belezas naturais.

Entre as atrações que fascinam os visitantes estão os rios de águas transparentes, as cachoeiras, as trilhas e toda a riqueza da fauna e da flora. Uma exuberância que salta aos olhos nos passeios de flutuação, nas grutas, nos balneários, nos mergulhos com cilindro e nos cenários de aventura.

Como se os atrativos naturais não fossem suficientes para uma viagem dos sonhos, a cidade se preparou para se tornar um modelo do ecoturismo e sabe receber seus visitantes como poucos destinos nacionais. Bonito conta com infraestrutura de primeira, acomodações variadas para todos os bolsos, mão de obra qualificada nos seus estabelecimentos comerciais, guias especializados e um esforço constante dos governos locais no que diz respeito, especialmente, à sustentabilidade.

Ao todo, a região conta com mais de 40 atrativos, que possibilitam aos visitantes variadas opções de atividades. Ficou com vontade de conhecer? Leia nosso artigo até o fim e saiba tudo que você precisa para planejar sua viagem para Bonito!

Viva esta experiência
Receba ajuda de nossa equipe para definir o seu roteiro em Bonito MS

Como se planejar para uma viagem a Bonito?

Quando ir?

Você pode ir a Bonito em qualquer época do ano. No entanto, se você procura as atrações voltadas para aventura, é preciso estar ciente de que entre dezembro e janeiro, durante as férias escolares, as cachoeiras costumam estar mais volumosas, com grande possibilidade das chuvas deixarem as águas turvas. Já entre o período de fevereiro a abril, o volume de chuvas tende a dificultar e até inviabilizar alguns passeios. Felizmente, as atrações de flutuação e as realizadas nas cavernas são poucos suscetíveis às mudanças de clima, e por isso são realizadas quase na totalidade do ano.

É geralmente durante o inverno (de maio a agosto) que a cidade oferece a possibilidade para você desfrutar de todos os seus atrativos. Habitualmente não chove durante esse período. Outro diferencial é o Festival de Inverno, que acontece em julho. Eventualmente, a partir de outubro o nível da água está baixa e não permite que algumas atrações sejam tão atrativas quando o habitual.

Quantos dias ficar?

É possível conhecer as atrações mais importantes em um período de 5 a 7 dias. Durante esse tempo, você conseguirá participar de, pelo menos, um passeio de cada tipo. Se optar por ficar mais dias, não faltarão atrativos, uma vez que a cidade oferece mais de 30 opções de lugares turísticos.

Quando fazer as reservas?

Proceder suas reservas com antecedência é sempre uma excelente alternativa para conseguir bons descontos e preços mais acessíveis, com destaque para os períodos de férias e em feriados.

No caso específico de Bonito, vale lembrar que a maior parte dos passeios tem limitação diária de visitas em função do controle ambiental que visa preservação. Além disso, em quase todos eles o acesso é restrito às pessoas acompanhadas por guias, com reservas realizadas pelas agências locais, de modo que o ideal é você se planejar com pelo menos 120 dias de antecedência para evitar transtornos e prejuízos, aproveitando o melhor da cidade.

O que levar?

O clima em Bonito é típico do centro-oeste brasileiro, ou seja, tropical — sendo, na maior parte do ano, quente e chuvoso. No entanto, apesar do calor habitual — especialmente durante o período diurno —, vale a pena levar uma roupa mais quentinha para as noites.

Além disso, as vestimentas devem ser confortáveis e, se possível, é interessante optar por peças confeccionadas em tecidos com proteção UV. Roupas de banho, chapéus ou bonés, tênis, óculos de sol, sandália no estilo papete (as mais adequadas para as trilhas), camisetas, shorts e moletons são essenciais. Mochilas, capas de chuva e sombrinhas também são itens importantes.

Para que os cenários deslumbrantes não se percam na memória, câmeras fotográficas e filmadoras são muito bem-vindas. Vale lembrar que devido à própria característica da cidade, insetos e outros animais de pequeno porte são muito comuns, então repelentes e antialérgicos são indispensáveis. Não esqueça, também, do protetor solar e do hidratante corporal.

Como chegar?

A melhor opção para se chegar a Bonito é o transporte aéreo. A maioria das companhias aéreas oferta voos até o Aeroporto Internacional de Campo Grande. De lá é possível alugar um carro e ou embarcar em um transporte compartilhado, normalmente disponibilizado pelas agências de viagens ou cortesia de hotéis, pousadas e hostels.

Também é possível fazer o percurso de ônibus. A Viação Cruzeiro do Sul faz o trajeto diariamente, e o ideal é consultar valores e tempo de viagem mais próximo da data do seu embarque.

A Azul tem voos partindo de Campinas com desembarque em Bonito e duração de 1 hora e 30 minutos aproximadamente. Esses voos são mais escassos em épocas de baixa temporada, mas pode ser uma forma mais prática de chegar a Bonito.

Onde ficar?

O primeiro fator que você deve considerar na hora de escolher suas acomodações é a disponibilidade de veículo. Se você não puder contar com um carro à sua disposição, opte pelo centro da cidade. A área central é a única a contar com vans compartilhadas para os atrativos locais.

Se você estiver de carro, encontrará hotéis e pousadas com serviços diversificados e atrativos especiais, que vão desde espaços para as crianças até acesso direto a rios, passando por spas de relaxamento. No entanto, não se preocupe se não contar com um veículo: em ambos os casos a cidade oferece boas opções.

Também é importante checar a acessibilidade de cada local, especialmente se você for viajar com crianças ou idosos no grupo.

No centro da cidade, a Pousada Surucuá, o Hotel da Praça, o Paraíso das Águas, o Bonito Ecotel e o Pirá Miúna são algumas opções. Agora, se a intenção for uma acomodação que permita aproveitar a natureza, algumas opções são o Águas de Bonito, o Santa Esmeralda, o Hotel Cabanas e a Pousada Boyrá. Se for levar a família, vale a pena investir em estabelecimentos mais completos, como o Resort Zagaia e o Wetiga. Obtenha mais informações com a nossa equipe!

Onde comer?

Como em todo bom roteiro, mergulhar na culinária local é essencial para uma experiência completa. Por isso, ainda que Bonito conte com cafés, espetinhos, hamburguerias e cervejarias, o forte na região é mesmo o que vem de seus rios e lagos. Assim, você não pode deixar de provar o ponto alto da culinária local: a variedade de peixes, entre eles o piraputanga, o pacu e o pintado.

O restaurante mais famoso é a Casa do João. Praticamente uma atração turística, o estabelecimento tem como prato principal a traíra frita, acompanhada de pirão, salada e arroz — além das deliciosas saltenhas, típicas empanadas bolivianas, que você não deve deixar de provar. Outra grande pedida é o pacu assado do Restaurante da Juanita.

Se a intenção for um lanche rápido, a lanchonete e café Vício da Gula tem deliciosos hambúrgueres artesanais, feitos com tempero caseiro e singular. Aproveite que está de férias e não abra mão das sobremesas com gostinho da cozinha da vovó, simplesmente irresistíveis!

Por fim, não saia da cidade sem provar a comida típica das fazendas. De uma fartura rara, os buffets do segmento servem pratos feitos no fogão a lenha, saboreados tanto na hora do almoço quanto após uma atividade de mais desgaste físico, como os esportes de aventura ou flutuação.

Viva esta experiência
Receba ajuda de nossa equipe para definir o seu roteiro em Bonito MS

Quais são as melhores dicas de ecoturismo em Bonito?

Bonito conta dezenas de atrativos do ecoturismo, mas a dica é dar atenção especial às atrações de flutuação — não há dúvida de que essas são o grande diferencial da cidade.

O ideal é se organizar antes da viagem para curtir as atrações que mais têm a ver com o seu gosto, mas também vale a pena ousar um pouco e sair do que habitualmente se enquadraria na sua preferência. Para ajudar no seu planejamento, listamos as principais atrações da cidade começando pelas flutuações, que são, realmente, as grandes estrelas do destino.

Nascente Azul

O complexo da Nascente Azul, distante 29 quilômetros de Bonito, é uma das mais requisitadas atrações da cidade. O Balneário é um verdadeiro complexo de lazer para toda a família, tendo como sua principal atração a flutuação no Rio Bonito, com suas águas escandalosamente cristalinas. Essa é uma experiência única, um daqueles momentos especiais na vida que são impossíveis de sair da memória.

O local foi concebido e construído com absoluto respeito à natureza e vem realizando um belíssimo trabalho de recuperação ambiental ao longo dos últimos 10 anos. Na Nascente Azul, cada atração é uma surpresa ainda mais agradável do que a anterior. Confira algumas das atividades abaixo e acesse o site da empresa para informações detalhadas de sobre cada uma!

Flutuação e trilha

O passeio de flutuação da Nascente Azul é realizado na nascente do Rio Bonito que leva o nome de Nascente Azul. O trajeto se inicia com uma caminhada de 300 metros, passando por uma extensa cachoeira em véu que rende maravilhosas fotos. É também nesse trecho que está a Micro Central Elétrica (MCE ). A usina, de enorme valor histórico, gerava energia para a região há décadas e foi completamente restaurada.

Ao alcançarem a sala de equipamentos, os visitantes — acompanhados pelo guia — recebem todas as informações para a utilização dos equipamentos. Na sequência, eles percorrem uma trilha de aproximadamente 800 metros pela mata nativa. O passeio revela belíssimas árvores e com um pouco de sorte revela animais silvestres como macacos, veados campeiros, antas, quatis e tamanduás — inclusive espécies de aves típicas do Pantanal devido à sua proximidade.

Ao chegar a nascente, a experiência da flutuação começa já no treinamento. Realizada diretamente no rio, essa etapa, além de trazer uma melhor adaptação do visitante, já é uma prévia das belezas que virão. Em seguida, o visitante é conduzido para o deque de contemplação. Do local é possível observar as incríveis tonalidades de azul e uma flora aquática que forma um mix de cores único.

Durante todo o percurso o turista pode contemplar uma variedade enorme de espécies de peixes e plantas aquáticas uma experiência única e inesquecível. Ao final da flutuação, o retorno à sala de equipamento é feito em um carro de apoio.

Vale salientar que o rio não tem correnteza, tornando a atividade muito tranquila e ideal para quem não tem muita familiaridade com a água. Além disso, o compromisso do atrativo com a acessibilidade — com destaque para a trilha com piso táteis e cadeira de rodas anfíbia, que facilita a entrada e a saída do rio, bem como as rampas que possibilitam ao cadeirante subir com facilidade no transporte — é apenas um dos cuidados do complexo para atender pessoas com capacidade de locomoção reduzida, crianças e a melhor idade. Todo o passeio tem duração de 2h30.

No site da empresa é possível encontrar todas informações sobre todas as medidas de segurança adotadas, além de fotos que são uma representação fiel do paraíso.

Balneário

Ao terminar o passeio de flutuação, o turista não pode perder a oportunidade de descansar curtindo o Balneário Nascente Azul, atração com valor já incluso do voucher da flutuação e um dos mais belos cenários de Bonito.

O local é ideal para passar o dia com a família. O cuidado em proporcionar uma experiência agradável para todas as idades é o destaque. O balneário conta com uma ótima infraestrutura, contendo uma pequena praia para o deleite das crianças e dos que não têm tanta intimidade com profundidade.

Para os que preferem um ambiente mais habitual, há uma piscina ecológica alimentada com água corrente da nascente e ornamentada com plantas da região, proporcionando liberdade e segurança para as atividades infantis.

A grande estrela do local é o Aqualokko, um circuito multi-aventura composto por pontes suspensas sobre o lago e chafarizes. Além de adrenalina, a atividade oferece um visual ímpar, realmente de encher os olhos. O espaço também conta com uma trilha, ótima para fotos e que oferece a oportunidade de saborear alguns frutos regionais em determinadas épocas do ano.

A trilha dá acesso à capela ecumênica, local ideal para reflexão em contato com a natureza. Há também a cascata, onde é possível fazer uma massagem relaxante pelo contato com a água. Também compõem a área do complexo um bar com serviço de garçom, restaurante, vestiários e quadra de vôlei de areia — além, é claro, de Wi-Fi.

Isso tudo está destinado à comodidade do visitante com total interação com a natureza. Vale destacar que o balneário também é comercializado separado da flutuação, tornado possível acompanhantes terem um dia agradável mesmo não realizando a outra atividade.

Mergulho

Com um lago com aproximadamente 5 metros de profundidade, o mergulho com cilindro tem como objetivo atender a todos, mesmo àqueles que sequer sabem nadar — a atividade é acompanhada por monitores treinados.

Durante cerca de uma hora os turistas podem se deliciar nas águas cristalinas e ter contato com a fauna e a flora do lago, que conta com grandes peixes e uma infinidade de plantas.

Aventura

Para os aventureiros de qualquer idade, o complexo de aventura da Nascente Azul é um verdadeiro parque de diversões. Denominado de Adventure Nascente Azul, a atração é composta por atividades radicais como a tirolesa — a maior do estado, com uma deslumbrante vista da Serra da Bodoquena. O percurso passa sobre cachoeiras e muita mata nativa. Além disso há o pêndulo humano, que vai testar os seus limites!

As atividades são desenvolvidas a partir de uma torre com 20 metros de altura, sempre sob a supervisão de monitores treinados e capacitados, a fim de garantir segurança total. Para crianças e jovens com menos de 18 anos, é exigida a autorização dos pais para desfrutar da atração.

Ao visitar o complexo de ecoturismo Nascente Azul — parada obrigatória em Bonito —, reserve todo o dia para isso.

Abismo Anhumas

Distante 23 quilômetros de Bonito, o Abismo Anhumas é uma caverna absolutamente gigantesca. São 72 metros de descida vertical até o fundo, na única abertura conhecida. Ao final do trajeto, você encontrará uma imagem fascinante das águas cristalinas, em um lago que se abre com mais de 80 metros de profundidade e cerca de 70 metros de largura.

É quase impossível não ceder à tentação de mergulhar nas águas (com temperatura média de 18 graus) e flutuar em meio às formações rochosas consolidadas há milhares de anos. A impressão é realmente de estar em outra dimensão, ressaltada pelo silêncio quase absoluto e por uma única faixa de iluminação.

Se já é fantástico chegar lá embaixo, é aos mergulhadores certificados que está reservada uma experiência realmente surreal: submergir mais 18 metros — profundidade suficiente para conhecer uma das cavernas mais sensacionais e exclusivas do planeta.

Não se entristeça se você não tem experiência e não mergulha com cilindro: é possível fazer snorkeling acompanhado por um guia. A propósito, toda a estrutura de segurança — tanto no mergulho quanto no rapel — é garantida por uma equipe altamente qualificada. Portanto, não há nenhum motivo para preocupação.

O único fato que deve ser considerado na escolha desse passeio é que, além da descida, você também precisará voltar ao topo escalando. Nesse caso, suas pernas serão a principal ferramenta. Considere seu estado físico e o esforço que pode fazer no mergulho. Além disso, a empresa organizadora submete todos os turistas a um teste de rapel, e pode inclusive optar por não levá-los ao passeio.

Rio da Prata

Outro passeio que atrai muitos visitantes de Bonito é o mergulho no Rio da Prata. O passeio é realizado em grupos de até 9 pessoas, com o acompanhamento obrigatório de um guia, e começa com uma caminhada pela mata ciliar do Rio da Prata. No trajeto, uma exuberante riqueza de flora e da fauna conta com aparições não raras de quatis, macacos, tamanduás, entre outros animais silvestres.

Ao iniciar a flutuação, os visitantes encontram uma suave correnteza, que os leva a conhecer cardumes de variados tipos de peixes típicos do Pantanal, como dourados e curimbatás. Nesse clima de absoluta comunhão com a natureza, o turista faz o percurso até o encontro dos rios Olho D’Água e Rio da Prata.

Ao final do passeio, um almoço típico estará à espera do turista na sede da fazenda. No total, o visitante desfrutará de 1h40 de flutuação, sendo o período total do passeio estimado em 4h30.

Lagoa Misteriosa

Outra atração muito requisitada em Bonito, especialmente pelos mergulhadores, é a Lagoa Misteriosa. O local tem origem em uma caverna aquática no interior da lagoa, na qual uma coluna d’água permanece com sua profundidade desconhecida (o mais ousado mergulhador submergiu 220 metros).

Distante cerca de 50 quilômetros da sede de Bonito, o passeio de flutuação na Lagoa Misteriosa é iniciado com uma pequena trilha (600 metros) até o mirante contemplativo. Ao sair da lagoa o turista volta à sede por uma trilha diversa, com cerca de 500 metros de percurso pela mata.

Diferentemente do Rio Prata, a lagoa não tem muitos peixes, e os que lá habitam costumam ser bem pequenos. Em contrapartida, a transparência da água e o seu tom azulado garantem fotos dignas de prêmios e de causar inveja a qualquer mortal. Além disso, o percurso pode ser considerado bem mais fácil, podendo ser realizado por aqueles com menos preparo físico.

Projeto Jiboia

Essa é a atração mais inusitada de Bonito. Localizado no centro da cidade, o Projeto Jiboia nasce do desejo de seu fundador, Henrique Naufal, de desmistificar as serpentes não peçonhentas e seus comportamentos. O objetivo da atração é apresentar aos turistas os hábitos desses répteis, colaborando para a formação de uma nova percepção.

O passeio é composto por uma palestra com cerca de duas horas de duração, na qual o fundador do projeto discursa sobre a vida das serpentes. Em seguida é apresentado um breve vídeo sobre a vida reprodutiva desses animais.

De forma descontraída e participativa, os visitantes são convidados a exporem suas dúvidas e a ter contato direto com as cobras. Aos mais ousados, é facultado tocar os animais e mesmo colocá-los nos ombros.

O passeio, com custo bastante acessível, recebe um público variado, quase sempre muito surpreso com as informações sobre a espécie. Atualmente, o projeto conta com 12 jiboias e uma píton. De acordo com o empresário e fundador do projeto, os répteis do Projeto Jiboia são extremamente dóceis, estando habituados com a presença humana e o contato físico.

Também vale salientar que, como em todas as demais atrações que listamos, o projeto tem todo o cuidado do ponto de vista ambiental. Assim sendo, todos os exemplares tem microchip de identificação, certificado de origem e nota fiscal de acordo com a legislação.

Como você pôde ver, investir em uma viagem a Bonito é garantia de descanso, aventura e momentos especiais ao lado de quem você ama. Se você ficou com vontade de juntar a família e os amigos, fazer as malas e vivenciar uma experiência única no ecoturismo em Bonito, entre em contato conosco!